O BOTO - Alter do Chão
Você procura por
  • em Publicações
  • em Grupos
  • em Usuários
VOLTAR

Progressos e conquistas em prol do Ensino Médio em Alter do Chão

Progressos e conquistas em prol do Ensino Médio em Alter do Chão
Susan Gerber-Barata
mai. 24 - 9 min de leitura
000

A nova vice-diretora da escola anexo Dom Thiago Ryan, Patrícia Guimarães Branches da Silva assume para junto ajudar mudar a história da educação em Alter do Chão


Ver o prédio da escola Dom Macedo Costa no meio da vila Alter do Chão, construído por nós, a comunidade, para os nossos filhos, os filhos de Alter, revitalizado, enche o coração. A posse da vice-diretora Patrícia Branches no dia 22 de Maio de 2023, ela também filha de Alter, mostra que os esforços incansáveis da vila desempenhados em prol da educação. Foram presentes o Conselho Escolar e diversas autoridades da 5a URE e da escola Dom Thiago Ryan, comemorando juntos que esses esforços estão trazendo, enfim, frutos. Depois de mais do que 20 anos emprestando salas, o ensino médio ganhará um prédio só seu e abrigará três turmas de Ensino Médio, amenizando um grande déficit na comunidade. 


Professores, membros da 5ª URE, país e alunos comemorando juntos as conquistas


As mudanças acontecem dentro uma reestruturação do Ensino Médio

No Brasil inteiro será implantado, a partir do ano 2022 o assim chamado “Novo Ensino Médio”. Com o fim de ressignificar o Ensino Médio, promete trazer novas práticas metodológicas educacionais, mudanças que trarão assim as promessas, o estudante cada vez mais como protagonista do seu futuro. Ele pode alinhar parte do currículo pedagógico conforme as suas necessidades e de acordo com seus interesses. O estado do Pará elaborou para esse fim o “Documento Curricular do Estado do Pará (DCE-PA). A formação geral básica durante o Ensino Médio propõe um conjunto de competências e habilidades essenciais para a aprendizagem dos alunos. Estes devem ser desenvolvidos a partir das seguintes áreas do conhecimento: Linguagem e suas tecnologias; Matemática e suas tecnologias; Ciências da Natureza e suas tecnologias e Ciências Humanas e Sociais Aplicadas.

Dentro desses parâmetros o aluno tem liberdade de se organizar de diversas maneiras, desde que incluam Matemática e Língua Portuguesa em todos os anos do ensino médio. Prometa-se dessa nova metodologia a chance de ressignificar os conhecimentos e o processo de ensino-aprendizagem dos alunos. Espera-se formular o ensino a partir de um processo de escuta dos jovens, da comunidade, e, mais importante ainda, da Região Amazônica.

Especialmente aqui no Norte do Brasil os currículos das escolas devem adaptar e incorporar cada vez mais as diferenças regionais, dando ênfase nas potências e riquezas das suas  culturas indígenas.  

Especialment aqui no Norte do Brasil os curriculos das escolas tem que incorporar cada vez mais as diferenças regionais junto com a potência de suas culturas indígenas.


Continua a necessidade de outro prédio para o Ensino Médio

No plano da infraestrutura, o próximo passo para Alter será erguer um prédio novo para o ensino Médio. Esse enfim atenderá todas as necessidades não só da vila, mas de toda uma redondeza. A necessidade de ter um prédio próprio de Ensino Médio se baseia nos seguintes números:

Habitantes de Alter do Chão entre 6.000 e 10.000, crescente, e sem os habitantes das redondezas a serem atendidos

O Ensino Médio funcionando atualmente com 220 alunos, divididos em 3 turmas de 1º, 2º e 3º ano 

Estima-se que o novo prédio atenderá entre 400 – 500 alunos de toda a redondeza de Alter do Chão

Foi concedido um terreno adequado na comunidade do Caranazal que atende às exigências do MEC, acertado na última reunião do Conselho de Desenvolvimento Comunitário de Alter do Chão do dia 25 de Março de 2022.  Cabe agora ao estado que arque com o seu dever e oficialize uma promessa antiga de construir um prédio de Ensino Médio ou aqui na vila de Alter do Chão ou na comunidade do Caranazal. - Educação adequada é fundamental para qualquer progresso de uma região. Cumpra-se a lei de abril de 2013 estabelece que o Ensino Médio é, sim, uma etapa obrigatória na formação de jovens e adolescentes, sendo que todo cidadão dos 4 aos 17 anos tem que ter acesso à educação gratuita. O diploma de Ensino Médio garante que os alunos sejam aptos para enfrentar processos seletivos de universidades – como o Enem -, concursos públicos e provas militares. Para Alter do Chão e redondeza estima-se que no total deveriam ser atendidos entre 400 e 500 alunos, muitos deles hoje infelizmente ou fora da escola ou sendo obrigados a se matricular nas escolas distantes de Santarém, não dispondo de ônibus escolar.


A história do prédio Dom Macedo Costa e com ele os meandros e conquistas do ensino em Alter será contada em outro post. Quem se interesse para o momento político em qual a escola foi construído pode ler um pouco nesse link:


https://www.oestadonet.com.br/noticia/23431/memoria-de-santarem-a-volta-da-camara-na-ditadura-militar-e-o-arquivo-municipal-em-cinzas/



Um pouco da história do Ensino Básico e Médio em Alter do Chão

Se a luta para ensinar as crianças na vila é longa, vale lembrar um pouco da história do ensino em Alter do Chão.

Tudo começou com a escola Don Macedo Costa, prédio construído em 1969 pelos moradores da vila sem recursos do município.  - “Construído por nós para os nossos filhos!” Na escola Dom Macedo lecionava-se somente as sérias iniciais. Quem precisava cursar o Ensino Médio precisava ir para Santarém.

1985 erguia-se um novo e moderno prédio - a escola Municipal Professor Antônio de Souza Pedroso, no início também somente com Ensino Básico. A partir do ano 1992 a comunidade conseguia a implantação do Ensino Médio, chamado Sistema de Organização Modular de Ensino (SOME), com professores de Santarém que lecionavam sua matéria em módulos condensados.

No ano 1998 o prédio Professor Antônio de Souza Pedroso foi reformado e ampliado, atendendo as exigências do MEC. No ano 2006 começou ser atendida a modalidade de Educação Indígena no mesmo prédio, visando tornar realidade outra luta da vila, regatar sua identidade e auto-reconhecimento étnico indígena Borari. No ano 2022 a escola Professor Antônio de Souza Pedroso começa a funcionar em regime diferenciado como escola indígena.

Em março 1999 foi implantado na vila o Ensino Médio regular 1º, 2º e 3º ano. Nasceu o Anexo Alter do Chão Dom Thiago Rayan, um tipo de filial de uma escola de Ensino Médio existente em Santarém. O Ensino Médio no estado do Pará é competência do Estado e os municípios são responsáveis pelo Ensino Básico. Começou com duas turmas de primeira série, com setenta e nove alunos.

Sem prédio próprio, alunos e professores do Ensino médio “emprestam” salas de aulas das duas escolas do município. Ministravam-se aulas de manhã e a tarde na escola Dom Macedo e à noite na escola Antônio de Sousa Pedroso.

No meio da pandemia no ano 2022 a escola Dom Macedo Costa foi interditada e necessitava urgente de reforma. Os 95 alunos do ensino médio, divididos em três turmas e seus professores se encontram, de repente, sem local apropriado para cursar e lecionar! O prédio da escola Indígena Borari Professor Antônio de Sousa Pedroso tinha sido declarado Escola Indígena. Os alunos que não se encaixavam nesse perfil recebiam aulas, de improviso, nos camarins do Sairódromo até enfim - a comunidade cedia o antigo prédio Dom Macedo Costa à prefeitura com o fim que esse fosse restaurado e podia novamente servir o seu fim. Essa vez como base dos cursos de Ensino Médio.


No dia 09 de maio do ano 2022 aconteceu outro passo importantíssimo. Criou-se o primeiro Conselho Escolar de Alter do Chão, responsável pelo o Ensino Médio. A função desse Conselho Escolar, composto por representantes de estudantes, pais, professores, funcionários e comunidade local, tendo como presidente o Professor Genésio Macambira dos Santos, faz valer o controle social sobre a atuação do governo no quesito educação. Avalia, acompanha todos os projetos físicos e educacionais da escola e também é autorizado receber verba destinada a essa escola. Dialoga com toda a burocracia e a administração pública, tendo sempre em vista que a educação gratuita e de qualidade é um direito de todos.

Agora o fim é mais feliz. Com o reformado prédio, cheio de lembranças, foi dado mais um passo na direção certa. Alter merece.









 





Denunciar publicação
    000

    Indicados para você