[ editar artigo]

Após sufoco do fogo, vista-se de alegria para celebrar a Festa das Árvores

Após sufoco do fogo, vista-se de alegria para celebrar a Festa das Árvores

Este S/Çairé 2019 ficará marcado na história da Vila de Alter do Chão. Desde a tarde de sábado, após uma das mais vibrantes procissões fluvial da busca dos mastros no Lago Verde, um fogo de origem sinistra colocou em dúvida a própria fé no ser humano e se alastrou sob a Área de Proteção Ambiental Alter do Chão. 

Criada em 2013 pelo poder público municipal, esta área continua sem o seu plano de manejo exigido pela lei federal 9.985 (Snuc), o que certamente contribuiu para ações de especulações e de interesses contrários à preservação da natureza,  maior patrimônio da vila, responsável por grande parte dos recursos econômicos e empregabilidade, alimentando inúmeras famílias e pequenos empreendedores que vivem hoje quase que exclusivamente do turismo.      

Muito se viu, muito se aprendeu. Agora, é preciso um olhar com maior cuidado, dedicar muito mais amor pela beleza, valorizar a cultura e o saber, conhecer mais nossa biodiversidade e vibrar pela alegria de vivermos na praia que hoje está no centro do foco mundial, por ser e representar um ícone da imagem do que representa a Amazônia para o mundo.   

O jornalista e confrade da Alas e do IHGtap Manuel Dutra expôs bem o sentimento que tomou conta de muito de nós.

Saber deste incêndio entre Alter e Ponta de Pedras, município de Santarém, é como receber um choque elétrico de alta tensão no peito. Inacreditável, Inadmissível. É como botar fogo na própria casa, no compartimento onde se guarda a jóia mais preciosa.

Vandria Borari, em matéria para o Boto questiona: Quem botou este fogo aí? Sua coluna é um apelo pela Amazônia em pé, pela proteção de Territórios Indígenas, Unidades de Conservação, APPs.

Sem verde, a floresta acaba. Sem floresta, não tem água. Conflitos fundiários e a instalação de empreendimentos dentro do território estão extremamente ligados. O exemplo mais recente é a construção irregular de imóvel pertencente ao vice presidente do tribunal de contas do Estado do Pará. A casa encontra-se em área de proteção permanente nas margens do Lago Verde,

Vandria questiona de que lado está o poder? Também temos notícia de tentativa de prédios de até 7 andares nas proximidades do lago, no jardim seringueiras o que em muito irá prejudicar a imagem bucólica da pequena Alter.

Para o poeta, escritor e compositor Eduardo Serique, no poema Metafísica Zoé, nossa pobre metafísica não nos permite ver a alma das árvores, dos bichos e dos rios subindo ao céu no fumo das queimadas. Olhamos para o céu no clarão do dia e o que vemos são nuvens e um bando de urubus voando sobre nossas cabeças. 

Quão enganadora e fraudulenta 
A nossa metafísica:
Engendramos um inferno de fogo
E nele atiramos 
Tudo o que é outro,
Acreditando que com isso
Alcançamos o paraíso 
Que inventamos para nós mesmos!

Enquanto a floresta/savana de Alter queimava, o mundo acompanhava querendo mesmo ajudar a apagar o fogo. Recebi muitas mensagens, jornalistas, pesquisadores e até pessoas ligadas a brigadas na Catalunha preocupadas com a Amazônia. Enquanto isso, gráficos do Inpe comprovam que 2019 já ultrapassa todos os outros anos desde 2013. Mônica Miguez, de uma comunidade budista ligada à Lama Gangchen Rimpoche, que vem comandando práticas de auto cura do meio ambiente, nos disse: 

Estes incêndios também fazem parte de nossa energia de raiva.  A política é um fato que piorou muito nos últimos anos e isso aumentou nossa raiva. São nestes momentos  que temos a oportunidade de desenvolver amor e compaixão por todos os seres. Ver o sentimento e os erros de quem nos fez ou faz o mal e sentir compaixão é tentar desconstruir nossa própria imagem do objeto que nos fez raiva.

Hoje, depois dessa linda chuva na madrugada, Alter amanheceu com ar de primavera e povo agradecendo. Podemos comemorar, o fogo parece estar controlado. Vimos muitos agentes, voluntários, técnicos, os novos brigadistas de Alter, reservistas, comunitários e a comunidade unida em um só pensamento: O bem de Alter. Que estes tristes fatos não se repitam nunca mais e possamos viver a paz e a felicidade que é marca de se viver em Alter.


FESTA DA ÁRVORE, DOMINGO 22/SET

Domingo, dia 22 de setembro, um dia após o dia mundial das árvores, convido à todos para a Festa das Árvores.  Neste dia completo 30 anos como Engenheiro Florestal. Então este dia será de celebração, como em uma tarde quando Deus convidou todas as árvores para uma festa e todas as árvores levaram o que tinham de melhor. Umas trouxeram seus saborosos frutos, outras suas sementes, outras suas flores e outras simplesmente suas sombras. A ideia que nunca pode morrer, é se tentarem te enterrar, vire uma semente. Então venha para a Cabana para comemorar a vitória da vida, que se expressa em cada gesto e sorriso seu. Vista de árvore e venha compartilhar suas experiências e vivermos mais um belo momento de amor a nossa cultura e natureza. Bom S/Çairé para todos nós.                            

 

 

 

O BOTO - Alter do Chão
Jackson Rego Matos
Jackson Rego Matos Seguir

Professor associado III da Ufopa; Eng Florestal, Mestre em Ciências Florestais, INPA, 1993. Doutor em políticas públicas e meio ambiente, CDS/Unb, 2003. Professor do Instituto de Biodiversidade e Floresta. É membro da Alas, IHGTap, Folião do Sairé.

Ler matéria completa
Indicados para você