'); Reconstruindo a sorte da Guiomarina - O BOTO - Alter do Chão
[ editar artigo]

Reconstruindo a sorte da Guiomarina

Reconstruindo a sorte da Guiomarina

Foram as mulheres do "Café com Amizade", o Clube-de-Mães cedeu a localidade, que se juntaram para reconstruir a sorte da Guiomarina Venâncio Barbosa. A casa dela, que milagre que ela não estava, pegou fogo e a deixou desabrigada. Comovidas, a mulherada se organizou e preparou uma feijoada, aquela feijoada que já permitiu que ela começasse com a reconstrução.

Com muitas cartelas já pré-vendidas, a comunidade solitária fazia fila lá no Clube de Mães para retirar a sua porção de feijoada. Tudo isso sob uma fina chuva de inverno amazônico.

Acompanhe o registro fotográfico e os depoimentos de algumas mulheres envolvidas que mostram como o coletivo pode mudar reconstruindo a sorte numa vila tão pequena como Alter do Chão. 

Eliana Barreto de Paula e Silva que se desempenhou e muito na venda antecipada diz: 

"A iniciativa do Café com Amizade/Clube de Mães para ajudar a Guiomarina foi de grande valor, pois através dessa ação a qual fiz parte, conseguimos de alguma forma ajudá-la nesse novo recomeço depois de ter sua casa incendiada por problemas de fiação elétrica. - Isso se chama solidariedade com a dor do outro e fazer parte disso, enche nosso coração de alegria e amor."

Todas ajudaram de alguma maneira, dando ingredientes, preparando ou servindo a feijoada.

Dona Rosangela Santos fala:

"Nesse caso dela, foi uma fatalidade! Nesse caso tem que ajudar e ser solidário, sem preconceito, sem nenhuma restrição e sem julgamento!"

Fatalidades desse tipo, aqui partiu de um curto circuito, podem acontecer com qualquer um.

O prejuízo, o choque, tudo já passou.

O "Café com Amizade" é uma roda só de mulheres de todas as camadas sociais. O seu café, aliás, está aberto a todas! Acontece sempre no último Sábado do mês na casa de uma das mulheres e tem pouca cerimônia. O Clube-de-Mães por sua vez retomou as atividades sempre nas 3a-feiras à tardinha. 

Socorro Mota mostrou os seus dotes culinários! Todas amava a feijoada dela! E a Gláucia Ferreira acrescenta:

"Gostei muito de ter participada! Nos mulheres podemos nos organizar e fazer a diferença na comunidade!"

Socorra Mota botou literalmente para ferver e diz:

"Talvez pelo meu nome, sempre estou disposta a ajudar e ver uma mulher em situação tão delicada... botei a mão na massa e preparei a feijoada do jeito que gosto de comer!"

Temperada a quatro mãos e várias bocas de fogão tinha couve e laranja como deve ser!

Panelas gigantes e muitas mãos picando, cortando, cozinhando

Annelyse Rosenthal Figueiredo, de costas lembra: 

"Giomarina é mulher e é mãe. O fogo que consumiu sua casa, destruiu seu lar e seu espaço de trabalho. Como participante das rodas de Café com Amizade e sócia do Clube de Mães, pude, junto com outras mulheres, praticar o que cultivamos nesses espaços: a solidariedade, a empatia, a amizade e o acolhimento. Juntas somos mais fortes."

Já no Clube-de-Mães todas se disponham para servir.

Material de construção que foi adquirido com o dinheiro da feijoada

Guiomarina agradece:

E eu mal sabia andar de ônibus em Santarém. Com ajuda da minha família também organizei uma rifa e o dinheiro agora já dá para reerguer parte da minha casa.

e continua: Cresci, fiquei mais independente e já estão colocando a mão na massa! O Nildo, Silvanildo Guimarães da Silva, pedreiro, vem de Santarém, está trabalhando para mim subindo para cima e para baixo!

Gratidão também para minha irmã que está me cedendo a casa onde vou morar até a minha volta ter condições. Gratidão!

 

O BOTO - Alter do Chão
Susan Gerber-Barata
Susan Gerber-Barata Seguir

Suíça com passagem por design e jornalismo de moda. Apaixonou-se tardiamente pelo Brasil e mais tarde ainda pela Amazônia, especialmente a culinária amazônica. Cozinha, escreve e fotografa livros, uns sobre culinária amazônica.

Ler conteúdo completo
Indicados para você