[ editar artigo]

Seminário de Alimentação Viva & Crua

Seminário de Alimentação Viva & Crua

A ideia deste texto surgiu  como uma proposta para divulgar os Seminarios da Cozinha do Sol 🔆 sobre alimentaçao viva que muitas pessoas não podem frequentar pelo fato de ele ser as segundas-feiras pela manhã aqui nas cercanias de Alter do Chao. Logo me lembrei da fala da Maria Branco no projeto Terrapia /FioCruz RJ. As aulas acontecem aqui no nosso espaço onde compartilhamos com a horta, agrofloresta, aves, animais silvestres, insetos e amor pela natureza. A ideia destes encontros é que trazem um pouco de nossas conversas na mesa.

ALIMENTAÇÃO VIVA na promoção da saúde e do ambiente: um diálogo com a natureza. 

Esse tem sido o tema que traz as pessoas ate nós, curiosos em saber o que é alimentação viva. Essa é a proposta da Cozinha do Sol 🔆.

A PROMOÇÃO DA SAÚDE

É um movimento que esta acontecendo dentro da saúde pública já há algumas décadas, quando a saúde pública desconfia que os rumos que estavam seguindo não estavam dando muito certo. Existe um norteador da saúde pública que são os estudos da EPIDEMIOLOGIA. O que é isso?
Epidemiologia é assim: Ha 200 anos mais ou menos, os profissionais da saúde descobriram que muitas pessoas adoeciam iguais. Era muito engraçado. Por que todo mundo que vem pra essa enfermaria deste hospital acaba pegando tétano? De repente, deve haver alguma coisa que seja coletivo? Descobriram um cocheira atrás do hospital e que esta poderia estar contaminando as pessoas. E ai se descobre que ha um outro estudo a se fazer, que é o estudo do coletivo.
A epidemiologia avançou, desenvolveu muito e hoje é atraves dos estudos de adoecimento coletivo que a saúde pública se orienta.
E os estudos epidemiológicos fizeram e vem acompanhando as práticas preventivas que foram instituídas no século passado de maneira bastante e  efetiva e chegaram a conclusão que de verdade não havia mudanças significativas como se pensava:
Prevenia-se, prevenia-se, prevenia-se e a tuberculose continuava aumentando no mesmo ritmo. Prevenia-se, prevenia-se, prevenia-se e a dengue transmutava e acontecia de novo.
Portanto há um questionamento entre os profissionais da Saúde Pública que talvez tivéssemos de pensar de uma outra forma. Surge a ideia de começar a pensar nos DETERMINANTES da saúde e não os determinantes da doença.


Os determinantes da saúde  começam a gerar uma situação completamente nova dentro da formação medica (porque durante 6 anos de escola médica não há aulas de saúde, nenhuminha não há! Toda ela é voltada para o estudo dos adoecimentos).
Como vamos estudar os determinantes da saúde se não sabemos o que é saúde?
Alguns países mais avançados, outros menos, no Brasil esse movimento de promoção de saúde acontece em 1997 na Fundaçao Oswaldo Cruz/ RJ.
Os experimentos de saúde começam a serem valorizados com uma pratica. A Cozinha do Sol 🔆 é um desses experimentos.
 É um experimento de como a gente pode avançar nos determinantes da saúde. E isso não mais dentro de escolas de profissionais de saúde. Isso junto com a população.
Vamos nos questionar sobre o que é a doença.
Vamos ter que repensar nesse assunto de que é que nos adoece e repensar sobre o que é que nos alimenta.


Esta é a proposta para suspendermos nossos conceitos elementares para que a gente possa abrir o coração para outra forma de olhar as coisas e, sabermos também que a lamentação ela não ajuda. O posto de saúde tem um monte de consultórios para as pessoas que querem ir la fazer consultas e contar de seus lamentos.

Nosso espaço tem outro propósito: é exatamente a gente olhar o que a gente tem de saúde e isso não é uma receita de bolo que você coloca item 1, item 2, ..., não é assim que a coisa acontece.
Tem um senso geral que fala das 2 bases, que é a da ALIMENTAÇÃO e a ATIVIDADE FÍSICA. Isso é uma tendência de entender que saúde mora por aí.
E nos aqui da Tribo 🔆 fomos juntando essas experiências, conversas e resultados dos diálogos com a população para nos animarmos cada vez mais a estudarmos diferentes temas para estes seminários.
De verdade a gente acaba encontrando as terapias naturais que dizem que a saúde mora junto com a natureza. Todo mundo que tá lendo isso acha que a mais ou menos a saúde mora com a natureza.
Essa situação entre o vínculo saúde e ambiente ela é dada pela nossa própria situação de existir usando o ambiente como forma de troca.
Promover a saúde ainda é uma coisa nova dentro do país. O departamento do ministério da saúde foi fundado em 2005, ainda todo ele em fase de estruturação, de estudos de avaliação.

E os nossos 🔆 experimentos aqui também geram insumos para essa discussão dentro do Ministério da Saúde.
Eu estou há 4 anos fazendo uso do alimento vivo e posso contar pra vocês pra mim como foi.
Faço 90 % alimento cru e comecei por auxiliar as pessoas que frequentavan minha Cozinha 🔆.
Uma amiga me apresentou o alimento vivo, a Yoga, a coletividade. Então entrei e muito rapidamente me adequei. As pessoas dizem que as terapias naturais demoram muito tempo para mostrar resultados. Comigo não foi nada disso: vi resultados com jejum em 2 dias. Dietas líquidas. Intermitente.
 Logo vi câmbios no meu corpo, mente e na minha situação. A animação para fazer as coisas foi aumentando muito, muito rapido tambem consegui organizar meu corpo que estava inflamado.
Uma das coisas que impressionou foi um assunto que a medicina tecnologica nao valoriza mais que é a regeneração. Num se conversa mais sobre isso - vai ter que se acostumar com a enfermidade pelo resto da vida. Isso é uma doença incurável. Acabou!
A gente aprende isso.
O que pode acontecer de regeneração a gente não sabe. Pode ser.
A ciência se presa exatamente por não ter verdades. A ciência tem perguntas, mas não tem verdades. Tem perguntas, aproximações, suposições, interpretacões possibilidades. 
Verdade não!
É por isso que a ciência é bela e continua bela e é por isso tambem que a gente pode continuar com nossas vivencias aqui na Tribo 🔆,

 porque aqui é um lugar de pesquisa que permite desenvolver novas ideias. Experimentar outras coisas. Isso é estimulado dentro do projeto.
Eu convido a todos vcs que se tornem cientistas de vcs mesmo. Que cada um se observe e utilize seu universo corporal como forma de observacao de encontrar suas historias e questionando as verdades limitantes que vamos "catando" por ai.
Uma delas é sobre o que é o ALIMENTO?
A gente aprendeu  que alimento a gente tem que comer, ficar forte e que tem que ser bom pra vc. É isso que é bom, aquilo que é bom e depois vc vai ver que tem um montao de formas de dietas e qual delas é a boa?
Ja começa por ai: a gente ver que nao tem verdade nenhuma em alimentaçao. Existem muitas interpretaçoes sobre o que é alimentaçao.
Eu penso assim: o alimento de verdade, ele é o modo de como eu me relaciono com o mundo externo.
É o ar que absorvo que me alimenta. Sem ele eu nao vivo.
O Sol que me aquece a pele é outro alimento. Sem ele eu nao vivo.
A Agua que me banha e que tambem entra pela boca. Tambem sem ela eu nao vivo.
Olha quanto alimento.
Os abrazos, os amores que me alimenta. Sem eles a gente tambem nao vive.
Entao se queremos falar de dieta ela tem que contemplar essas coisas todas.
O alimento é aquele que faz a interaçao entre o  mundo interno e o mundo externo. Somos separados do mundo externo por uma coisinha muito fina. Uma pelinha fininha que nos separa.
Entao falamos do sol, da agua, do ar e agora vamos falar dos alimentos vindos da terra que sao transformados pela luz do sol, pelos ventos, pela agua e que chega ate nos e entram pelo nosso corpo pela boca.


Ha uma forma de se olhar o alimento que tem sido dominante nos tempos atuais que é examinar os alimentos pelos nutrientes que eles contem. Tantas proteinas, tantos carboidratos, tantos isso, tantos aquilo.
Mas essa é uma forma de olhar.
Tem tantas outras. Por exemplo, Sheldrake diz que é pela qualidade de informaçao que o alimento contem.
A abobora carrega uma irformaçao que é da propria especie dela, que é da semente dela, que tem uma marca que é dela, que tem uma forma de absorver a luz do sol, que tem uma forma de reagir quando as chuvas chegam, quando tem excesso de agua, quando  tem falta de agua. Esse conhecimento da abobora esta dentro dela. Entao ele diz que nos comemos a informacao da abobora e que é ela que alimenta nosso sistema de informacao.
Tem autores que vao dizer que é a forma  como a abobora absorveu os fotons da luz solar e vao organizar energias e descargas eletricas que vao alimentar nossas reacoes e isso nos alimenta.
Outros dizem que as cores  do alimento que vao trazer  uma frequencia de onda de cor que vai entrar em ressonancia com os padroes nossos eletromagneticos e que vao alimentar nosso corpo.
Ha  uma serie de observacoes sobre o que é que o alimento pode fazer no nosso corpo.
Eu trago aqui que esse alimento pode promover um dialogo com a natureza. Essa para mim foi a maior experiencia do alimento vivo nesses anos.
Eu passei a ficar muito mais interessada na natureza quando voltei a produzir meu proprio alimento.
Quando faço uma semente germinada, um broto, eu começo a prestar atencao na terra, na qualidade da agua. Começo a me tocar nos assuntos da terra.
Quando vejo pela janela, vejo a floresta e vejo o que estao fazendo na produçao de alimentos, na monocultura e essas coisas começam a tocar meu coraçao e num sei porque meu coraçao bate mais forte e bate mais forte.
Quando a gente ve o que acontece com o solo degradado doi o coraçao porque vc entra em frequencia com os vegetais.
Outra informaçao é o sabor dos alimentos que tambem tras o conhecimento e vcs saber que a palavra sabor tem a mesma origem da palavra saber e que atraves dos sabores a gente faz a troca de conhecimentos com os vegetais e fica mais sensiveis a ele tambem pelo sabor.

Uma mesa posta linda cheia de vegetais e as pessoas perguntam: - Verdade que vc so come mato?
- Sim!
Tem catalogados mais de 5 mil especies vegetais comestiveis. Agora do jeito que nos andamos com essa historia de morar em cidade e depender que alguem produza alimento pra gente comer, houve um empobrecimento.
Das 5 mil cultivamos umas 600.
Das 600 ainda tem que aclimatar ai quando chega no mercado vamos conseguir umas 200/250 ja ta bom e ainda tem a sazonalidade pra baixar mais ainda.
Entao vc ve o seguinte:
A casa de uma pessoa que come convencional e veja quantas coisas da natureza ela compra. Talvez umas 30 o resto ja ta refinado, processado, modificado.
Concluam comigo:
Se o alimento é o nosso modo de fazer contato com a natureza, nosso modo de trocar informacoes com a natureza, tem mais de 5 mil especies e eu nao consigo trocar com 30?  
Olha o empobrecimento que a gente tem.
Se saude esta em contato com a natureza a gente ta pobre a bessa.
Alimentacao viva uma visao ampliada sobre alimentacao integrada ao ambiente natural é baseada na vitalidade, na energia vital.
Vitalismo e holismo- teorias cientifico- filosoficas que recusam a hipotese mecanicista de reduçao da vida as leis fisico-quimicas. Reconhece a "força da vida" como reguladora. Reconhece a existencia de sistemas organizados que so podem ser estudados em sua totalidade.
De uma maneira bastante simples o que nos alimenta é a vitalidade do alimento e este precisa estar fresco e vivo.
Pegar o vegetal no seu ponto maximo de vitalidade é consumi lo quando esta germinando.
Edmond Szelely, antropologo e medico divide o alimento em 4 grupos para termos uma noção de vitalidade:
- biogenicos: geram vida;
- bioativos: ativam a vida;
- bioestaticos: vida basal;
- biocidas : matam vida.

O Alimento vivo tem sido dito na historia que ele aparece e desaparece.
Tal Schallee (dr. Soliel) diz que toda vez que a especie humana esteve ameaçada o alimento vivo apareceu.
Nos anos 1970 a norte americana Ann Wigmore, dona de casa que adoeceu gravemente e lembrou que sua avo era mateira e curava as pessoas com ervas.
Decidiu ir atras dos "matinhos" e se curou de varias enfermidades. Descobriu a grama de trigo e a bebida rejuvelac.
As pesquisas cresceram, foi juntando gente e ela escreveu 15 livros.
Divulgou amplamente seu trabalho pelo mundo.
No Brasil, Ana Branco/ 1997 PUC RJ, iniciou pesquisas e comecou a contemplar a alimentacao como um estido de vida.
A culinaria viva é sem geladeira e sem fogao. Começa a fazer a grande mudança do estilo de vida.
É dificil conceber uma cozinha sem esses itens mas é possivel.
Vitalidade nao se guarda nem é pratica.
Essa é a logica que vamos buscar agora: Como  faz para eu encontrar a vitalidade?
Buscar quitandas, feiras, qualidade de vida. Descobrir quando chega as verduras, aproveitar e fazer um exercicio, conversar com o verdureiro, dizer pra ele o que vc quer, que semente quer comprar. 
Vc vai encontrar uma nova maneira de trazer vitalidade para sua casa. O manuseio dos alimentos pos colheita para aumentar a durabilidade.
Agora nos vamos atras desta conversa de vitalidade:
- tem vitalidade
- nao tem vitalidade, ligar os botoes e procurar.


É uma nova programacao mental e isso nao é so para o alimento que vem da terra, isso é para todos os alimentos: ar, agua, sol, afeto. Vc vai tomar a decisao de que vc vai fazer nas horas livres: vai pro shopping ou vai pro parque? Onde esta a vitalidade? Vc decide.
Começa nossa grande virada e é o que a gente ta propondo aqui 🔆:  instalar o ritmo do alimento vivo.

O BOTO - Alter do Chão
Ler matéria completa
Indicados para você