[ editar artigo]

III MUTAK – Oficina de adorno

III MUTAK – Oficina de adorno

 

Por coletivo de repórteres Boto no evento

Juliana Arapoty Munduruku, da aldeia de Bragança na Flona, deu uma oficina durante a manhã de domingo para ensinar o público a fazer pulseiras. Ela aprendeu o artesanato indígena com sua mãe, Lidia Munduruku, filha do cacique Domingos. "Fazemos pulseiras, brincos, colares, cestos, muiraquitã de tucumã..."


O policial civil catarinense Camilo Franco aprendendo a fazer sua primeira pulseira indígena

Essa oficina serviu para gente aprender a valorizar o artesanato indígena. A gente está vendo e sentindo a dificuldade de fazer uma pulseira. Quando eu olhar um artesanato, vou entender que tem horas de trabalho ali. Graças ao Mutak, pude conhecer a parte cultural da vila.

Camilo Franco

Apesar de feliz com o evento, Camilo teve uma decepção nessa viagem ao paraíso amazônico e aproveitou a entrevista para deixar um recado para todos:

"Eu desejo que esse atrativo natural e cultural de Alter do Chão seja preservado. O que me chamou mais atenção foi o descaso com o lixo em todos os lugares que eu visitei com minha família. A administração local tem a obrigação de orientar os turistas sobre lixo, pedir para trazer de volta garrafas e sacos plásticos dos passeios. E a coleta aqui, dos resíduos gerados na própria vila, tem que ser cobrada do poder público. De toda forma, usar menos descartáveis já é um bom começo".

 

O que é MUTAK?

A Mukameẽsawa Tapajowara Kitiwara (MUTAK) é o nome originalmente escrito em Nheegatu, que significa em português: “Mostra de Arte Indígena do Baixo Tapajós”, valorizando a língua nativa local. A mostra é uma ação de fortalecimento e resgate cultural indígena, de proteção da memória e ancestralidade dos povos da região e de valorização de suas artes e ofícios

III MUTAK acontece nos dias 27 e 28 de julho em Alter do Chão, reunindo 13 povos originários dos municípios de Aveiro, Belterra e Santarém: os indígenas Apiaka, Arapiun, Arara Vermelha, Borari, Kara-Preta, Jaraki, Kumaruara, Munduruku, Maytapú, Tapajó, Tapuia, Tupinambá e Tupaiú.

 

O BOTO - Alter do Chão
O BOTO
O BOTO Seguir

O BOTO é o jornal comunitário de Alter do Chão, em Santarém/PA, e região. Os repórteres, fotógrafos e colunistas são moradores. Os assuntos são escolhidos pelos próprios colaboradores.

Ler matéria completa
Indicados para você