[ editar artigo]

Incêndio florestal na savana de Alter do Chão, Ponta de Pedras e Pindobal

Incêndio florestal na savana de Alter do Chão, Ponta de Pedras e Pindobal

Com colaboração de Thaís Medeiros 

Uma mancha de fumaça preta escreveu um grito de socorro no sábado que dava início ao ritual do Sairé 2019, com a Busca dos Mastros. Foi nesse sábado esperado para ser de profunda alegria que, às 3 da tarde, o fogo começou.

Trocas de mensagens entre bombeiros e brigadistas. Desde então, a vila acompanha informações que chegam em tempo real para diversos grupos de Whatsapp dos moradores. Já são mais de dois dias de incêndios florestais na região. Domingo foi um dia de cooperação e união de pessoas, do governo, de instituições e de associações para combater o fogo. 

O incêndio começou em área de interesse de grileiros. São áreas de domínio público federal,  áreas de proteção. A APA Alter do Chão tem 16.180 hectares de extensão e inclui as comunidades de Alter do Chão, Caranazal, São Raimundo, São Pedro, Andirobal, Jatobá, Ponta de Pedras e São Sebastião.

 

Há também decreto presidencial que suspendeu todas licenças ambientais para utilização de fogo pelo prazo de 60 dias. Qualquer ação humana com uso de fogo não poderia ter acontecido. Isso tem que ser apurado pelas autoridades policiais competentes.

Gabriel Franco, advogado da Brigada. 

 

ÚLTIMOS ACONTECIMENTOS

MAIS RECENTE

8h da noite - encontrando alguns brigadistas chegando em Alter

O químico e professor Lauro Barata (UFOPA) encontrou três brigadistas comunitários voltando do combate: Grilo, Ricardo e Cebola. Conta Barata que eles estavam muito cansados, mas felizes por sentirem que estão sendo úteis e importantes. Os brigadistas estão ajudando a organizar a estratégia de quem está no combate. Amanhã é o terceiro dia de fogo na região.

6h da tarde - FOCO INCÊNDIO - AINDA EM SANTARÉM ALTURA DE PINDOBAL

Fotos de Juana Calcagno Galvão

Com a chegada da noite, todos vão precisar recuar e a retomada do combate ao fogo em Pindobal só será reiniciado na madrugada de terça-feira. 

4h50 - FOCO INCÊNDIO - IRURAMA

Foto de Leila Verçosa

Veja onde fica no mapa:

4h35 - FOCO INCÊNDIO - SENTIDO MURETA

Estamos aqui no Mocotó e o fogo está fazendo um anel. Ele está indo sentido a Mureta e outra parte do lago. Tá indo embora, tá muito alto. 
Marcelo Low

3h15 - E novo foco perto em direção ao Pindobal, perto do Jucuruí. 

veja no mapa

Vídeo feito por Marcelo Cwerner com Marcelo Low a caminho de outro foco de incêndio em uma colina acima da Ponta do Caxambu, mais ou menos entre o Jucuruí e Mureta.

 


SEGUNDA, o dia começou cedo, com transporte de barco até a região afetada pelo fogo em direção a Ponta de Pedras

Hoje pela manha acessamos uma área que estava com acesso difícil graças ao apoio da ATUFA que fez o transporte de barco. Um comunitário do Macaco que conhecia bem a região também nos ajudou a chegar até um lugar remoto. Enxergamos o meio da savana de cima de um morro. Com a chegada do helicóptero, vamos ter uma melhor noção da área afetada. 

João Romano, Brigada de Alter do Chão

O prefeito Nélio Aguiar também sobrevoou a área logo cedo. 

Foto de Daniel Gutierrez da Brigada de Incêndio mostra Thaís Medeiros combatendo fogo

A região atingida pelo fogo em Ponta de Pedras foi bastante destruída. Queimar uma floresta é queimar muito mais que um conjunto de árvores. Temos diversas espécies ainda desconhecidas. A fauna e a flora dessa região são riquíssimas. Plantas não tem como correr. A maioria dos animais não tem tempo de correr. O fogo mata tudo.  


DOMINGO, desde 5h30 da manhã

Fogo. O dia começou quente e foi intenso até o fim, com muita fumaça e fuligem no céu de Alter do Chão. Fogo fora de controle. "A equipe ficou muito cansada, mas conseguiu fazer uma parte boa do trabalho", conta João Romano, da Brigada de Alter do Chão. Veja mais aqui, na cobertura de ontem.

5h30 da manhã - os brigadistas começam 
10h da noite - foto do fogo tirada pelo doutor Eugenio Scannavino mostra o incêndio na Capadócia em direção a Ponta de Pedras. Imagem vista do centro da vila

 

SÁBADO, 3h da tarde: fumaça densa e forte

Joao Romano, coordenador da Brigada, relata que uma fumaça muito preta e densa escreveu um grito de socorro no céu. Depois da confirmação, o grupo de combate articulado entre Corpo de Bombeiros e a Brigada de Alter reuniu 5 pessoas. O fogo era muito alto. Tiveram que parar no início da noite para organizar informações e criar uma estratégia de combate para o dia seguinte (acima). 

Um brigadista constatou um incêndio no dia 14 as três horas da tarde. Deve ter começado meio dia, o sol estava muito quente e o vento muito forte. Acabou pulando a estrada de ponta de pedras acessando a savana de Alter do Chao. Ele veio queimando, subindo e descendo o morro. No primeiro dia a gente já conseguiu visualizar um pouco, mas era muito fogo, muita fumaça e poucos brigadistas.

João Romano

Como brigadistas, agradecemos a união e colaboração de todos em um só propósito: cuidar e proteger Alter.  O Grupamento dos Bombeiros e Militares (GBM), a Defesa Civil, o Exército Brasileiro, a Prefeitura de Santarém, Secretaria de Meio Ambiente de Santarém, a SEMAT de Belterra, a Polícia Civil e Militar, a comunidade de Alter do Chão, o Boto Cor de Rosa, a Casa do Saulo, a Administração Distrital, a ATUFA, a agência Turismo Consciente, o Projeto Saúde e Alegria, o restaurante Lago Verde, a Marupiará Expedições, o Curupira adventure, o Mingote e MAD 4 LIFE e a nova pizzaria argentina ali ao lado da dona Glória estão todos apoiando. Todos juntos pela floresta em pé. 


 

O BOTO - Alter do Chão
Ler matéria completa
Indicados para você